Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verdades Mentirosas

"Não é que eu seja mentiroso, eu não sou é verdadeiro."

Verdades Mentirosas

"Não é que eu seja mentiroso, eu não sou é verdadeiro."

Cristina, a malta está a começar a ficar farta de ti...

04.10.20, o mentiroso

cr.jpg

Cristina Ferreira é a grande recontratação da TV portuguesa e, segundo a própria, esta será uma “nova era da Cristina” cheia de novidades. Em jeito de celebração ela protagonizou uma capa “extraordinária” na sua própria revista e um pouco por todo o país repete-se a frase: “epá, já estou a ficar farto da Cristina”.

Ela foi capa da sua própria revista (o que é sempre uma excelente ideia); foi destaque um pouco por toda a imprensa (menos na SIC por razões óbvias) e com a chegada de Setembro foi, à semelhança do que aconteceu na SIC, entrevistada no remodelado Jornal da Noite da estação.

Como já costuma ser hábito na televisão generalista, todos os protagonistas bateram em uníssono palmas uns aos outros (porque não há coisa mais bonita e altruísta do que fazer isso em televisão...) e afirmaram que este novo estúdio da TVI é tão extraordinário, mas tão extraordinário que eles até vão aproveitar para fazer, imagine-se, jornalismo!

 Ora nada melhor do que uma grande entrevista à Cristina Ferreira para começar esse fantástico trabalho não é?

 Pois bem, a Cristina aproveitou o tempo de antena para revelar que tem muitas novidades e que a seu devido tempo serão reveladas porque ela gosta de surpresas (creio que a TVI e a SIC já sabem isso).

Ela também aproveitou para revelar um detalhe sobre “O Dia De Cristina” que segundo ela “será sobre o que ela quiser”. Lá está, mais uma coisa muito bonita e que deve ser dita e repetida vezes sem conta em televisão. É a velha história do "eu, eu, eu...":

O programa vai ser sobre o que EU quiser! Porque EU é que decido e nem sequer existe uma equipa que me aconselha com informação para que EU possa tomar as melhores decisões possíveis. Ok, a equipa até existe mas EU é que mando nela e como tal EU meto no meu programa o que EU quiser. (isto é uma paródia obviamente)

Eu gosto da Cristina e é por isso que tudo isto me custa. Mas que raio de comunicação é esta? Quem é que está a aconselhar a Cristina?

Olha “tininha” nós queremos o teu nome lá fora e na cara das pessoas. Não tenhas receio, valoriza-te à bruta ao ponto que as pessoas vão ficar um pouco enjoadas e já agora, promete mundos e fundos aos telespectadores. Haaa é verdade, Cristina faz também uma capa na tua revista Cristina com a Cristina na capa, está bem Cristina? Espera não te vás já embora, não te esqueças de repetir “era da Cristina” nas entrevistas e já agora, faz também um programa sobre ti Cristina, algo que tenha o nome Cristina e que não dure assim muito tempo, UM DIA INTEIRO chega! TU ÉS A MELHOR! FORÇA!

Brincadeiras à parte, este tipo de comunicação é talvez vulgar; desinteressante e atrevo-me a dizer também, muito pouco inteligente. Sim é importante que uma mulher se valorize e acredite em si própria, mas se é de televisão que estamos a falar, também é importante que não se transmita a imagem de arrogância ou falta de humildade. Desnecessário se tivermos em conta que todo o país já sabe HÁ MUITO TEMPO que a Cristina é inteligente; uma brilhante mulher de negócios e alguém que de facto tem muito valor. Ou seja, é COMPLETAMENTE desnecessário a própria Cristina reforçar essa mensagem. Em comunicação quando a mensagem é transmitida com sucesso, recebida com sucesso e descodificada com sucesso não há motivos para a repetir 75 mil vezes! Até porque a mensagem não vai ficar 75 mil vezes melhor mas sim 75 mil vezes pior.

Porquê tantas promessas?

Vamos ter um Big Brother revolucionário!

De revolução esta nova edição do Big Brother só tem o nome. Revolução descreve melhor a edição anterior, quanto mais não seja pelos gritos descontrolados do Cláudio Ramos a chamar por uma concorrente logo na gala de estreia. Foi uma revolução porque apesar de todos conhecermos a potente voz histérica do popular apresentador, nuncao tínhamos visto num registo tão hilariante.

Já agora não nos podemos esquecer que por pior que nós achemos que o Cláudio foi na apresentação do programa, ele tinha sido confirmado como o apresentador desta tal “revolução” só para algum tempo depois ser “desconfirmado” porque “SETEMBRO É JÁ AMANHÃ!”.

O destino tem destas coisas, o Cláudio de facto teve inúmeros problemas na apresentação do programa, no entanto o seu registo foi uma novidade e até “revolucionário” porque não foi ignorado por ninguém (os que elogiaram e os que criticaram). Ele também teve a sorte de contar com um grupo de concorrentes absolutamente fantástico que ajudaram o programa não só a conquistar a liderança das audiências como a liderança nas redes sociais. As célebres causas deram que falar e também muito ajudaram as polémicas em torno da homofobia; descriminação; assédio; bullying e por aí fora. O BB20 foi revolucionário também pela casa e pela fantástica vista que curiosamente nesta edição que se descreve “revolucionária”, foi bloqueada.

A Cristina bem informou que é necessário tempo. Só espero que esse tempo seja utilizado para a criação de um projecto sólido para a TVI e não o habitual bombardeamento de telenovelas; programas da manhã que popularizam “Marias Leais”; programas da tarde que exploram tragédias e sofrimento alheio; passatempos da noite visitados ocasionalmente por celebridades que transbordam tanto de felicidade que até parecem ser personagens fictícias; galas de dança também protagonizadas por celebridades que dançam; programas de fim-de-semana que vão a 85 cidades diferentes e promovem a “brilhante e complexa” música pimba e no fundo, no fundo, toda a deprimência que em última instância é responsável pelo estado da televisão em Portugal.

É que se as pessoas estão fartas da Cristina agora, imaginem como elas ficarão se a “era da Cristina” não for tão memorável como ela própria tem vindo a prometer?

"E o mentiroso sou eu?"

1 comentário

Comentar post